Notícia
07/06/2013 13:27
PLANET CANOE 2013 – Vitrine da Canoagem Velocidade para o mundo
Temporada 2012 de Canoagem Velocidade

Texto: Planet Canoe (ICF)
Tradução: Iran Schleder (CBCa)

Que ano excitante para a Canoagem Velocidade! A temporada 2012 foi recheada com excitação e antecipação dos resultados das classificações nacionais e continentais para os Jogos Olímpicos, as três etapas da Copa do Mundo e por último as provas olímpicas em Eton Dorney. A Copa do Mundo de Canoagem Velocidade evoluiu e agora atrai uma média de 60 Federações Nacionais em cada competição. As provas são agora televisionadas com a programação reprisada em muitos países. A seguir os principais destaques dos momentos das etapas da Copa do Mundo até os Jogos Olímpicos 2012.


 
Copa do Mundo de Canoagem Velocidade FIC 2012 Capítulo 1
Poznan, Polônia
18 – 20 de março
 
A temporada 2012 da Canoagem Velocidade teve início em Poznan, na Polônia, reunindo os melhores atletas de 65 países. Os dias que precederam a competição foram atormentados por fortes ventos, mas que foram acalmados já na primeira eliminatória na raia de Malta, e uma vez começada a competição as condições foram as melhores para as provas.
 
A tensão foi crescendo em toda a raia durante a semana que aconteceu as Classificações Europeias porquê com a proximidade dos Jogos Olímpicos em poucos meses muitos atletas estavam ansiosos para ver como eles se sairiam contra os melhores do mundo.
 
A sul-africana Bridgitte Hartley resumiu tudo dizendo, “Eu me sinto melhor agora porque foi muito bom competir na primeira prova da temporada”.

 
Os destaque da primeira etapa da Copa do Mundo foram as provas olímpicas. No K1 1000m Masculino o atual campeão mundial Adam van Koeverden (CAN) parecia mais forte do que nunca com apenas a incerteza que quem venceria as medalhas de prata e de bronze. O canadense tomou a liderança já no início, parecendo que nada o impediria, mas René Holten Poulsen (DEN) não desistiu e com 200 metros para a chegada Van Koeverden e Poulsen disputavam a prova cabeça à cabeça. Poulsen aí retirou todas suas forças para tomar a liderança e o ouro, quando do nada veio Eirik Veras Larsen (NOR) que ultrapassou van Koeverden deixando-o em terceiro lugar.  
 
Na ausência do campeão mundial de 2011 e estrela local, Piotr Siemionowski (POL), a prova do K1 200m Masculino foi um passeio no parque para Ed McKeever (GBR), vencedor da prova final.
 
As provas femininas foram igualmente excitantes com Henriette Hansen (DEN) reivindicando sua vitória sobre Spela Ponomerenko-Janic (SLO) no K1 500m Feminino, e Marta Walczykeiwicz (POL) derrotando sua conterrânea Karolina Naja no K1 200m Feminino.
 
A prova de C1 1000 Masculino mostrou uma boa disputa entre Mark Oldershaw (CAN) e Sebastian Brendel (GER), que foi eventualmente derrotado pelo canadense. No C1 200m Masculino Andriy Kraytor (AZE) despachou Ivan Shtyl (RUS) pelo ouro.
 
Outra excitante prova envolveu a dupla portuguesa, Fernando Pimenta e Emanuel Silva, que haviam recém se qualificados para os Jogos no K2 1000m em Poznan. A dupla tomou a liderança muito cedo, mas os alemães, Martin Hollstein e Andreas Ihle, não os deixaram abrir muita vantagem tomando a liderança. A segunda parte da prova foi dominada pelos alemães, mas o destaque ficou com o fantástico retorno dos dois canoístas espanhóis Javier Hernanz Agueria e Diego Cosgaya Noriega, que literalmente voaram até o segundo lugar no pódio deixando o bronze aos exaustos portugueses.
 
O Comitê Organizador Polonês realizou uma competição de alto nível, mas a notícia triste foi o anuncio de falecimento de Rafal Piszcz, ex-atleta polonês, oficial internacional e organizador do evento.

 
Copa do Mundo de Canoagem Velocidade FIC 2012 Capítulo 2
Duisburg, Alemanha
25 – 27 de maio
 
Mais de 400 canoístas de 57 países competiram na bem estabelecida raia de Wedau Regatta, localizada em Sportpark, em Duisburg.
 
Muitas Federações Nacionais utilizaram o evento para fazer suas últimas seleções visando os Jogos Olímpicos, o que deu ao evento um alto nível intensidade acima do normal. Enquanto a última oportunidade para conquistar uma vaga para os Jogos Olímpicos durante a Classificação Européia realizada semanas atrás em Poznan, alguma Federações Nacionais ainda tinham que preencher um nome na embarcação e este teste continuava em Duisburg neste final de semana.
 
Destaques na seleção britânica para os Jogos Olímpicos Tim Brabants e Paul Wycherley, atletas que estiveram fechados apenas na recorrente batalha pelo K1 1000m olímpico ancorados para agarrar a vaga. No fim foi Brabants, campeão olímpico em 2008 no K1 1000m, quem agarrou seu ticket para Londres onde teve a oportunidade de defender seu título.
 
Outra grande notícia em Duisburg foi o empate da sensação do caiaque alemão, Nicole Reinhardt, atual campeão olímpica no K4 e campeã mundial no K1 500m em 2011. Seus sonhos nos Jogos Olímpicos vagarosamente se dissipou depois que ela começou a experiência com persistentes problemas de saúde no início da temporada.  
 
Todos os olhos estavam voltados para a equipe húngara, que se integrou ao circuito da Copa do Mundo em Duisburg depois de estar fora de Poznan em virtude de suas qualificações domésticas.
 
“A Copa do Mundo é importante para nós”, disse Botond Storcz, head coach da equipe húngara. “Nós estávamos realizando nossas qualificações nacionais no K1 500m Feminino. O tempo e as condições estavam ótimas para disputas justas. Nós também testamos nossas embarcações K2, masculino e feminino, e nosso atleta olímpico Atilla Vadja retornou ao C1 Masculino. Assim, nossos próximos passos serão o Campeonato Europeu e, é claro, os Jogos Olímpicos”.

 
A Hungria mais do que fez pelas medalhas perdidas em Poznan na semana anterior com a vitória de grande nomes. Depois de um ano afastado das competições, Natasa Dusev-Janic (HUN) mostrou na prova do K1200m Feminino que ela não desistiu do gosto da vitória. A multi-olímpica e campeã mundial dominou a prova, desafiada apenas na linha final pela jovem neozelandesa Alana Nicholls, que já tinha estado no pódio no dia anterior no K1 500m.
 
“Eu não competia há um longo tempo”, disse a lenda húngara. “Eu acabei de ter um bebê, então esse ouro é uma imensa satisfação para mim. Não foi minha melhor prova, mas eu deixo isso para a próxima vez. As próximas duas semanas serão de duro treinamento antes da qualificação húngara para os Jogos Olímpicos. Estou sentindo que eu estarei em Londres”.
 
No C2 200m Masculino a dupla russa Lipkin e Melantev mandou um forte sinal para seus oponentes esmagando a competição. No segundo lugar ficou o Brasil que mais uma vez diversificou o quadro de medalhas tomando uma bem merecida medalha de prata graças à jovem dupla de Ronilson Matias e Erlon de Souza. Bjorn Waschke ajudou seu companheiro de time Stefan Kiraj (GER) a garantir sua segunda medalha na competição terminando em terceiro.
 
Em Duisburg Anders Gustafsson (SWE) adicionou um ouro ao seu já extenso recorde no K1 500m Masculino derrotando o jovem Tom Liebscher (GER) e surpreendendo o concorrente à medalha o tunisiano Mohamed Ali Mrabet.
 
“Estou correndo no K1 500m pela velocidade e para ter mais provas”, disse Gustafsson. “Tive um pouquinho de problemas na largada, assim os 500m é uma outra oportunidade para mim melhorar isso. Estou tentando ficar o mais relaxado possível em alta velocidade para ser capaz de manter o ritmo até o fim. Agora eu estou indo para casa porque preciso descansar. Depois irei para a Hungria me preparar para o Campeonato Europeu e os Jogos Olímpicos”.
 
O K1 1000m Masculino ofereceu uma fantástica linha de largada e uma grande luta nas raias entre Adam van Koeverden (CAN) e Eirik Veras Larsen (NOR). Mas no final ambos foram ultrapassados por Aleh Yurenia (BLR) na raia 9.
 
“Eu estava remando com o Eirik de canto de olho”, disse van Koeverden. “Eu podia ver que ele estava indo rápido e quando eu cheguei na linha de chegada me senti satisfeito, então vi meu amigo Aleh a um metro na minha frente me senti frustrado. Mas isso faz parte do jogo que jogamos. No entanto estou feliz e esta Copa do Mundo está terminada de qualquer maneira e é mais um passo na estrada rumo aos Jogos Olímpicos”.
 
Houve muito drama no dia final da Copa do Mundo com Duisburg com a tensão sobre a campeã húngara que se qualificaria para as Olimpíadas no K1 500m Feminino.
 
A experiente Danuta Kozák (HUN) respondeu às questões executando um ótimo plano de prova, agarrando a medalha de ouro bem como sua passagem para Londres. “Eu estou muito feliz”, disse. “Nós tivemos nossa qualificação olímpica nacional na última semana em Poznan e a segunda aqui em Duisburg que foi realmente perto uma da outra. Sinto-me cansada agora. Eu não almejei vencer esta prova. Eu foquei principalmente em terminar a prova antes da Krisztina Fazekas, então posso dizer que a medalha de ouro tem hoje um gosto ainda melhor”. Alana Nicholls (AUS) e Krisztina Fazekas (HUN) completaram o pódio.

 
A torcida local comemorou a vitória de seu campeão Sebastian Brendel (GER) na final do C1 1000m Masculino. Brendel ultrapassou uma impressionante seleção de canoístas incluindo Vadim Menkov (UZB) e o experiente especialista francês Mathieu Goubel.
 
“Uma pessoa faltou aqui”, disse Brendel em referência ao espanhol campeão olímpico em 2004 David Cal Figueroa. “A fila de largada nesta manhã foi muito boa, então esta vitória é importante para mim”.
 
Copa do Mundo de Canoagem Velocidade FIC 2012 Capítulo 3
Moscou, Rússia
1 – 3 de junho
 
Os russos, mais do que qualquer nação, tinham muito o que comemorar ao fim da Copa do Mundo em Moscou. Eles dominaram quase que todas as categorias, ao mesmo tempo que todos os atletas lutavam todo o fim de semana contra o frio, fortes ventos e uma ocasional chuva. Todavia, a última etapa da Copa do Mundo na temporada terminou cheia de entusiasmo e otimismo tanto entre os organizadores da prova quanto os atletas.
 
Alana Nicholls (AUS) resumiu isto perfeitamente; “As condições do tempo não foram as melhores neste fim de semana mas tivemos algumas boas provas. Todo mundo enfrentou as mesmas condições, então bastava se adaptar”.
 
Na antecipada prova de K1 1000m Masculino Adam van Koeverden (CAN) derrotou Murray Stewart (AUS) para conquistar sua primeira medalha de ouro de Copa do Mundo na temporada – embora Murray tivesse largado melhor e os dois não estivessem muito longe um do outro. O russo Pavel Nikolaev chegou na terceira posição.
 
As eliminatórias do C1 1000m sugeriam que a prova final seria muito apertada, mas isso não correspondeu à realidade. Nem Mark Oldershaw (CAN) e nem os barcos alemães das eliminatórias anteriores foram capazes de repetir seus tempos ou desempenho como Ilya Shtokalov (RUS), Sergey Yemelyanov (KAZ) e Pavel Rusu (MOL) que pegaram a primeira, segundo e terceira posições, respectivamente. O futuro da Canoagem Alemã continuou a brilhar em todas as provas com grande desempenho de sua equipe Sub-23 que competia a Copa do Mundo. A dupla do K2 500m formada por Debora Niche e Anne Knorr (GER) e de Max Rendschmidt e Kai Spenner tiveram desempenho de medalha de ouro, vencendo suas provas com tempo muito competitivos. Knorr também foi e venceu o K1 5000m logo depois no mesmo dia. Para Niche entretando, vencer no K2 500m estava acima de suas expectativas.
 
“Não esperávamos vender porque os barcos russos eram seus barcos olímpicos, mas esperávamos uma medalha, contudo não sonhávamos com o ouro”.
 
“Nós tivemos um bom fim de semana. Conquistamos o segundo lugar ontem no K4 500m, tivemos também uma boa prova então nosso final de semana tem sido de grande sucesso”.
 
“Ainda existe uma grande diferença entre nós e (sêniores) Tina Dietze e Franziska Webber. Elas são muito fortes e são as melhores, mas agora com nossos resultados esperamos estar lutando juntos em poucos anos”.
 
As novas provas olímpicas na distância de 200m entusiasmaram os fãs e desafiaram os canoístas que competiam tradicionalmente no agora exista distância de 500m. Menos de dois meses dos Jogos Olímpicos o ardor estava em alta para a prova inaugural de 200m e aparecia um novo nome registrado como um sério concorrente à medalha em Londres.
 
Depois de uma desanimadora Copa do Mundo em Poznan e uma boa performance em Duisburg, César de Cesare (ECU) parecia ter recuperado a forma que o fez vencer o Pan-americano no K1 200m. Em uma explosiva prova que tinha alguns dos maiores nomes da Canoagem, como Adam van Koeverden (CAN), Murray Stewart (AUS) e, é claro, o campeão mundial Piotr Siemionwski (POL). De Cesare tomou o primeiro lugar por uma pequena vantagem, seguido de perto por Maxim Molochkov (RUS) enquanto o atual campeão mundial Piotr Siemionwski terminava em terceiro lugar. Esta foi a primeira etapa de Copa do Mundo disputada por Siemionwski depois de estar doente no começo da temporada.
 
“Desde que me recuperei de minha doença eu remei apenas uns 13 ou 14 dias, então chegar em terceiro lugar não foi tão ruim. Espero estar melhor no Campeonato Europeu. Estou feliz com meu desempenho, pois antes pensava que talvez poderia chegar em quarto ou quinto lugar, então eu superei minhas próprias expectativas”.
 
Falando sobre sua decisão em competir na distância de 200m van Koeverden disse, “Eu já competia nos 200m antes da Copa do Mundo e faço isso para melhorar minha largada nos Jogos Olímpicos. Estou levando esta Copa do Mundo mais como treinamento”.
 
A linha de largada do C2 200m foi uma das provas mais estonteantes do evento e foi vencida pelo barco lituano de Raimundas Labuckas e Tomas Gadeikis. A surpresa veio com os jovens brasileiros Erlon de Souza e Ronilson Matias de Oliveira que passaram muito perto da medalha de ouro. A dupla iria competir do C2 1000m nos Jogos Olímpicos e como qualquer outro canoístas de longa distância utilizaram  os 200m para praticar sua largada e velocidade.
 
Avaliando seu desempenho na medalha de prata Oliveira disse, “Foi brilhante. Tudo aconteceu conforme nosso planejamento desde o início. Nós estávamos esperando o primeiro lugar mas estamos felizes com nosso desempenho. Nós somos muito rápidos e explosivos mas precisamos trabalhar um pouco mais nossa força”.
 
A etapa da Copa do Mundo em Moscou encerrou a temporada de Canoagem Velocidade da FIC, e agora os canoístas voltavam suas atenções ao Campeonato Europeu em Zagreb, na Croácia; e nos Jogos Olímpicos de Londres.
 
Fonte: Planet Canoe 2013, páginas 13, 14, 15
 
 
É com muito prazer que ao longo do ano a Confederação Brasileira de Canoagem divulgará os textos traduzidos para o português da revista Planet Canoe 2013, publicação oficial e anual da Federação Internacional de Canoagem.
 
Link da versão digital site FIC (em breve edição 2013)








Confederação Brasileira de Canoagem

Rua Monsenhor Celso, 231 - 6º andar - Centro - Curitiba - PR - CEP 80010-150
Telefone 41 3083 2600 - Fax 41 3083 2699
Apycom jQuery Menus