Notícia
24/03/2020 04:03
CBCa emite nota sobre o adiamento dos Jogos Olímpicos
Entidade a importância dessa medida é necessária em virtude dos reflexos que que os atletas têm enfrentando nas dificuldades de manter o nosso melhor nível de rendimento competitivo por causa da necessidade de paralisação de treinos e competições importantes tanto no Brasil quanto no mundo.

Foto: Planet Canoe

A Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa), emitiu uma Nota Oficial quanto ao adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio que seriam realizados nos meses de julho e agosto deste ano.
 
“Acreditamos que postergar para 2021 foi a melhor estratégia, pois teremos até lá uma situação favorável e controlada, onde a prioridade principal é a saúde e o bem-estar dos atletas para que a prática do Olimpísmo seja feita da melhor forma”, diz um trecho da nota assinada pelo presidente da CBCa, João Tomasini Schwertner.
 
Os atletas da Canoagem Brasileira endossam o adiamento para o ano que vem, “sou totalmente favorável, não é o momento de pensar em competição, agora é de pensar em salvar o mundo e pensar no próximo”, comenta Pedro Gonçalves, classificado na Canoagem Slalom na categoria K1 Masculino. Já Ana Sátila que disputará o C1 e o K1 Feminino também pela Canoagem Slalom que os treinamentos mudaram por causa do coronavírus e que é importante para dar mais tempo para a preparação olímpica e pede para todos fazerem sua parte nesse momento difícil. “Peço que todos fiquem em casa, é importante para tentarmos passar o mais rápido possível pela essa pandemia”, fala.
 
Confira a nota completa da CBCa:
 
“Em virtude da atual situação global do agravamento do COVID-19 que atingiu mais de 300 mil pessoas em quase todos os países do mundo e também seguindo as orientações das autoridades sanitárias para o isolamento completo de todos, a Confederação Brasileira de Canoagem como já exposto há alguns dias é favorável ao adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio, onde essas ações têm como prioridade a preservação da saúde e da integridade física de todos.
 
Entendemos que a importância dessa medida é necessária em virtude dos reflexos que que os atletas têm enfrentando nas dificuldades de manter o nosso melhor nível de rendimento competitivo por causa da necessidade de paralisação de treinos e competições importantes tanto no Brasil quanto no mundo.
 
Acreditamos que postergar para 2021 foi a melhor estratégia, pois teremos até lá uma situação favorável e controlada, onde a prioridade principal é a saúde e o bem-estar dos atletas para que a prática do Olimpísmo seja feita da melhor forma.
 
O adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio também era uma posição defendida pela Comissão de Atletas da Canoagem Brasileira, assim como do Comitê Olímpico do Brasil - (COB) e o Comitê Paralímpico do Brasil (CPB) que já haviam demonstrado a importância deste posicionamento. Assim, parabenizamos o Comitê Olímpico Internacional (COI) que teve uma decisão muito importante visando o bem-estar de nossos atletas.”
 
COI fez um anúncio conjunto com os organizadores de Tóquio 2020
Em uma nota emitida em conjunto na manhã desta terça-feira (24) pelo horário de Brasília, Mori Yoshiro, presidente do Comitê Organizador de Tóquio 2020; o ministro olímpico, Hashimoto Seiko; o governador de Tóquio, Koike Yuriko; o presidente da Comissão de Coordenação do COI, John Coates; Diretor Geral do COI, Christophe De Kepper; e o diretor executivo dos Jogos Olímpicos do COI, Christophe Dubi, anunciaram o adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio.
 
 
“Nas atuais circunstâncias, e com base nas informações fornecidas hoje pela OMS, o Presidente do COI e o Primeiro Ministro do Japão concluíram que os Jogos da XXXII Olimpíada de Tóquio devem ser remarcados para uma data posterior a 2020, mas o mais tardar no verão de 2021, para proteger a saúde dos atletas, todos os envolvidos nos Jogos Olímpicos e na comunidade internacional.”, fala o trecho da nota.
 
Comitê Olímpico do Brasil também se pronuncia
O COB que há alguns dias já havia se pronunciado a favor do adiamento da edição olímpica vê com alívio essa notícia e reafirma a confiança no COI através da medida anunciada nesta terça-feira (24). “Sempre tivemos confiança de que o presidente Thomas Bach seria capaz de liderar com serenidade e segurança o Movimento Olímpico nesse momento histórico. Os atletas são o centro das preocupações do COB e do COI e, por isso, a comunidade olímpica do Brasil está bastante satisfeita com a decisão”, disse o presidente do COB, Paulo Wanderley Teixeira.
 
 
ICF endossa as medidas do COI
Logo após a decisão do COI a Federação Internacional de Canoagem – ICF também se pronunciou  e disse que, embora tenha sido uma decisão difícil de tomar para todos os envolvidos, foi a decisão certa e o melhor resultado para os atletas.
 
"Parabenizamos o COI, o governo japonês e os organizadores de Tóquio 2020 por tomarem essa decisão corajosa, mas essencial. Era certo que todos os envolvidos dessem todas as chances possíveis para as Olimpíadas e Paraolimpíadas continuarem este ano. Mover um evento como as Olimpíadas é uma tarefa enorme e só deve ser feita se for totalmente inevitável", disse o presidente da ICF, José Perurena.
 
 
A partir de agora, a Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa), junto com a Federação Internacional de Canoagem (ICF em Inglês) e a Confederação Pan-americana de Canoagem (COPAC) aguardam a nova data dos Jogos Olímpicos de Tóquio para fazer os ajustes no novo calendário de competições que foi adiado em virtude do Coronavírus.











Confederação Brasileira de Canoagem

Rua Monsenhor Celso, 231 - 6º andar - Centro - Curitiba - PR - CEP 80010-150
Telefone 41 3083 2600 - Fax 41 3083 2699
Apycom jQuery Menus