Notícia
05/08/2013 16:37
Canal Itaipu não atende requisitos técnicos para um evento olímpico
Confederação Brasileira de Canoagem e Federação Internacional de Canoagem buscam que o planejamento olímpico seja mantido para o Rio 2016
Nos últimos dias muito foi discutido acerca da mudança no planejamento na construção da pista artificial de Canoagem Slalom no Complexo de Deodoro, no Rio de Janeiro. Depois da declaração que as disputas da modalidade podem ser transferidas para o Canal Itaipu, localizado em Foz do Iguaçu dentro das dependências da Itaipu Binacional, a Confederação Brasileira de Canoagem se mostrou surpresa ao anúncio e se mostra contrária à decisão.
 
Segundo o presidente da Confederação Brasileira de Canoagem, João Tomasini Schwertner, o problema desta mudança é antes de tudo técnico, pois o projeto do Canal Itaipu foi concebido há mais 15 anos, onde os conceitos adotados para a construção de uma pista artificiais eram muito diferentes dos utilizados hoje. Como por exemplo na construção executada no Lee Valley White Water Centre, local de competição usado nos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e hoje, apenas um ano depois dos Jogos é já visto como bem sucedido legado esportivo para a cidade.
 
“O problema é meramente técnico, ocorre o seguinte o projeto do Canal Itaipu foi concebido no ano de 1996/97, para um volume de água aproximado de 20m3/s, utilizando-se apenas de obstáculos fixos (pedras). Hoje o conceito é totalmente diferenciado, não se utilizam mais pedras e os obstáculos são móveis fabricados de plásticos. Esses obstáculos são movimentados no fundo do canal podendo a pista ser transformada em diferentes níveis técnicos. Este novo conceito começou nos Jogos Olímpicos de Sydney, depois foi utilizado em Atenas, Pequim e Londres”, explicou Tomasini


Canal artificial dos Jogos Olímpicos Pequim 2008 mostram a tecnologia utilizada há cinco anos.
 
Não bastassem as mudanças de conceito quanto aos obstáculos, existe uma limitação do volume de água que impede qualquer prática em patamar olímpico. Para o Canal Itaipu hoje tem sido liberado pelo meio ambiente apenas 9m3/s o que deixa o local com pouca profundidade e com obstáculos expostos que invariavelmente quebram os equipamentos.
 
Infraestrutura também não atende demanda de público
Contudo, ainda existem outras dificuldades técnicas que impedem a realização do evento olímpico em Foz do Iguaçu. Para se ter uma ideia em Londres 2012, durante os quatro dias de competição na Canoagem Slalom, o complexo em Lee Valley teve um público médio de 11 mil pessoas por dia.
 
“Sabemos que o Canal Itaipu não suportará tantas pessoas assim, a não ser que muitas obras sejam realizadas e a mata lateral seja suprimida o que será mais uma importante questão para ser resolvida junto ao IBAMA e o próprio Meio Ambiente da Itaipu Binacional”, explica Tomasini.


Em Londres 2012 mostra também técnica utilizada na construção dos principais canais de Canoagem Slalom do mundo.
 
Legado Esportivo para o Brasil
Outro ponto fundamental para a divergência sobre a construção no Rio de Janeiro dá-se com relação ao desenvolvimento do próprio esporte. Com o Canal Itaipu houve evolução de 1.100% (mil e cem por cento) do número de atletas no Brasil, de 30 embarcações nos anos de 2006 e 2007 hoje já são com 330 embarcações, o que demonstra um crescimento quantitativo extremamente significativo. Além disso, os atletas estão conseguindo resultados desportivos incontestáveis, o que mostra que a evolução não se restringe apenas à quantidade, mas também à qualidade.
 
Na esperança que uma nova pista no Rio de Janeiro dê continuidade nesse volume de crescimento, a Confederação Brasileira de Canoagem e a própria Federação Internacional de Canoagem vão insistir que o Brasil cumpra com a sua promessa ao Comitê Olímpico Internacional.
 
A Confederação Brasileira de Canoagem sabe da importância do Canal Itaipu para o desenvolvimento do esporte em Foz do Iguaçu e no Brasil, porém entente que a oportunidade da realização dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro e a construção da pista de Canoagem Slalom no Complexo de Deodoro é fundamental para continuar esse grande crescimento que o esporte está fazendo nos últimos anos para estar entre as potências olímpicas da modalidade.








Confederação Brasileira de Canoagem

Rua Monsenhor Celso, 231 - 6º andar - Centro - Curitiba - PR - CEP 80010-150
Telefone 41 3083 2600 - Fax 41 3083 2699
Apycom jQuery Menus