Notícia
14/11/2016 00:11
Brasil é o segundo país com mais medalhas no Campeonato Sul-Americano de Canoagem Velocidade, Maratona e Paracanoagem
Equipe brasileira retorna da Argentina com 53 medalhas na bagagem
As equipes brasileiras de Canoagem Velocidade, Paracanoagem e Maratona disputaram neste fim de semana o Campeonato Sul-americano das modalidades, na província de Tigres, na Argentina, e trouxe para casa o vice-campeonato por equipes. O resultado por equipes foi conquistado devido ao bom desempenho dos brasileiros na Argentina, foram 20 ouros, 21 pratas e 12 bronzes conquistados.
 
O Brasil começou a competição com tudo, já no primeiro dia de disputa os brasileiros garantiram quatro ouros nas provas de 1000m. No C1 masculino conquistou ouro nas categorias Júnior, Sub-23 e Sênior, com os atletas Jacky Godmann, Maicon dos Santos e Isaquias Queiroz, respectivamente. A quarta medalha foi no C2 com Erlon Silva e Ronilson de Oliveira. Além de cinco de prata e seis de bronze.
 
No segundo dia entraram na água os atletas que disputaram as provas de 500m. E o destaque do dia novamente foram os atletas da Canoa, que conquistaram 5 ouros. No C1 Júnior, Jacky Godmann garantiu sua segunda medalha dourada da competição; Maicon dos Santos, no C1 Sub-23 e Isaquias Queiroz, no C1 Sênior também conquistaram sua segunda medalha do Sul-americano. No C2 Sênior Masculino, Erlon Silva e Ronilson de Oliveira subiram outra vez no lugar mais alto do pódio e no C2 Sênior feminino Andrea de Oliveira e Angela da Silva também conquistaram a medalha dourada.
 
Domingo, o terceiro e último dia de competições foi o dia mais premiado para o Brasil, foram 11 ouros, 7 pratas e 2 bronzes nas provas de 200m. Duas medalhas de ouro foram conquistadas no caiaque, a primeira com a atleta Bruna Rodrigues, no K1 Júnior Feminino; e a outra com o K4 Sênior, composto pelos atletas Vagner Souta, Edson da Silva, Roberto Maehler e Gilmar Junior. Na canoa foram mais sete ouros conquistados, três deles pelos atletas baianos Jacky Godmann, Maicon dos Santos e Isaquias Queiroz, que confirmaram a força brasileira na Canoa e garantiram o terceiro ouro de cada, no C1 Júnior, Sub-23 e Sênior, respectivamente. No Feminino Sênior a conquista foi de Valdenice do Nascimento que ainda venceu a prova do C2 Sênior Feminino, ao lado de Raiana da Silva. Erlon Silva e Ronilson de Oliveira levaram o ouro no C2 Masculino Sênior e Raiana Reis, ao lado de Tânia da Paixão conquistaram a primeira colocação no C2 Júnior Feminino.
 
Esta foi à última competição do ano no calendário da canoagem velocidade, que já inicia agora a preparação para o novo ano e ciclo olímpico. Segundo o coordenador Álvaro Acco Koslowski os resultados foram satisfatórios, levando em conta que a seleção vinha de um recesso pós Jogos Olímpicos. “Tivemos os resultados esperados, não estávamos na nossa melhor forma devido a pausa nos treinamentos. Agora estamos de olho já no próximo ciclo, vamos nos reestruturar para podermos continuar fazendo história no esporte” 
 
Paracanoagem
A Paracanoagem Brasileira também estava representada na Argentina. A modalidade optou por levar três atletas mais jovens para a competição, ao invés dos atletas já consagrados no esporte. O objetivo é preparar a nova geração e dar mais experiência internacional para os atletas que estão a menos tempo na Paracanoagem. Mesmo sem levar os atletas já consagrados da modalidade a Paracanoagem teve bons resultados: foram 2 ouros em 3 provas disputadas. Alex Sandro Correa Pessoa, de 25 anos conquistou o lugar mais alto do pódio ao vencer a prova do KL2, com mais de 6 segundos para o segundo colocado. No KL3 Masculino, Patrick Loureiro, de apenas 21 anos, não deixou a pressão de estar participando de sua primeira competição internacional e disputar a prova em que Caio Ribeiro venceu o Bronze Paralímpico, e garantiu o ouro com 5 segundos de vantagem do segundo colocado. A atleta paraolímpica Debora Benevides, do KL2, não terminou a prova.
 
Segundo Leonardo Maiola, Supervisor de Paracanoagem junto à CBCa, a experiência de dar a oportunidade para atletas mais jovens deu resultado: “É algo que tínhamos planejado, a Paracanoagem vem crescendo a cada ano e ao dar chances para atletas menos experientes estamos pensando no futuro da modalidade. Os atletas corresponderam muito bem, esperamos ter mais resultados como esse no futuro”, completa.
 
A modalidade encerra o ano histórico de 2016 com os olhos voltados para 2020, nos Jogos Paralímpicos de Tóquio. Em março de 2017 a 1ª Etapa da Copa Brasil de Canoagem Velocidade e Paracanoagem é o primeiro compromisso do ano.











Confederação Brasileira de Canoagem

Rua Monsenhor Celso, 231 - 6º andar - Centro - Curitiba - PR - CEP 80010-150
Telefone 41 3083 2600 - Fax 41 3083 2699
Apycom jQuery Menus