Notícia
11/10/2013 13:57
2013: ano histórico para Canoagem Velocidade Brasileira
Após conquistas garantidas por empenho da Confederação Brasileira de Canoagem, por grandes apoios e talentos decisivos, modalidade tem conquistas históricas no ano

A conquista das águas da cidade de Duisburg, na Alemanha, no 40º Mundial de Canoagem Velocidade, marcou 2013 para o esporte, principalmente a medalha de ouro de Isaquias Queiroz nos 500 metros do C1 Masculino. Ele derrotou grandes nomes da canoagem mundial depois de levar o bronze nos 1.000 metros na mesma categoria. “Isaquias é um grande talento da canoagem e tem tudo para conquistar uma medalha nos Jogos Olímpicos Rio 2016”, afirma Heros Ferreira, headcoach da Seleção Brasileira de Canoagem Velocidade.
 
O ano tem sido de muitas mudanças e conquistas e a mudança mais recente é o novo gerente do Centro de Treinamento no Yacht Clube Paulista – o CT da Represa de Guarapiranga – que chegou nesta semana: o advogado e gestor Fábio Tadeu Nicolosi Serrão. Com experiência na administração de entidades de esportes, ele se diz preparado para o desafio de alcançar as metas do plano de trabalho estabelecido pela Confederação Brasileira de Canoagem.
 
Serrão substitui o ex-canoísta Sebastián Cuattrin que, após gerenciar o CT por oito meses, foi contratado pelo Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos Rio 2016 para assumir a função de Líder de Competição Esportiva da Canoagem e Paracanoagem.
 
Vitórias: A dupla Erlon de Souza e Ronilson de Oliveira, representantes do Brasil em Londres 2012, também fez bonito este ano. Em junho, na 3ª Etapa da Copa do Mundo de Canoagem Velocidade, em Poznan, na Polônia, trouxe para casa a medalha de ouro no C2 Masculino 200 metros e a de prata no C2 Masculino 500 metros.
 
Erlon e Ronilson foram destaque também no Sul-americano de Canoagem Velocidade e Paracanoagem 2013 no Chile, em abril, vencendo o C2 Masculino Sênior 200  e 500 metros, demonstrando a superioridade do Brasil na competição.


Erlon e Ronilson disputaram os Jogos Olímpicos Londres 2012 e são vistos com bons olhos para o Rio 2016.

 
As vitórias de ambos e de Isaquias Queiroz em Poznam fizeram a Federação Internacional de Canoagem Velocidade prestar mais atenção nos canoístas brasileiros, afirmando em nota publicada no site oficial que o país mostrou suas credenciais na Polônia, começando a dar sinais de progressos reais na largada para os Jogos Olímpicos Rio 2016.
 
Muito desses resultados também se deve a outra mudança ocorrida neste ano, a chegada do técnico espanhol Jesús Morlán, um dos treinadores de Canoagem Velocidade mais vitoriosos do mundo, com cinco medalhas olímpicas e dez mundiais no currículo. Jesus chegou ao Brasil por influência direta do Comitê Olímpico Brasileiro que buscou o treinador na Europa e o contratou para treinar a equipe de canoa da Seleção Brasileira de Canoagem Velocidade.
 
Morlán é o preparador do maior medalhista da história da Espanha, o canoísta David Cal, que veio com ele treinar no Brasil. “Fiz um trabalho muito bonito na Espanha ajudando David Cal a se tornar o maior medalhista da história daquele país e tenho total convicção que os canoístas brasileiros têm muito talento, potencial e estão no mesmo nível ou até melhores do que encontrei o David no começo da carreira dele”, ressaltou Morlán.

Jesus Morlán chegou ao Brasil e encontrou uma base já formada pelo treinador Pedro Senna que descobriu atletas como Nivalter Santos, a dupla Erlon e Ronilson, Isaquias Queiroz, entre outros. O baiano Pedro Senna trouxe muitos jovens atletas da categoria canoa da Bahia, terra reveladora de grandes talentos por meio dos trabalhos da Associação Cacaueira de Canoagem e Federação Baiana de Canoagem.
 
Planejamento: Para o presidente da CBCa, João Tomasini Schwertner, os resultados positivos fortalecem e refletem o planejamento que a Canoagem Brasileira está traçando para 2016, em busca da sonhada medalha olímpica no Rio de Janeiro. “O trabalho desenvolvido dentro da confederação, o apoio essencial de nossos parceiros e a garra e motivação de nossos atletas nos dá muita confiança no planejamento que traçamos. Temos certeza que com este espírito de equipe ainda conquistaremos muitos outros importantes resultados para o Brasil”, declara.
 
O BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento) é o patrocinador oficial da Canoagem Brasileira e tem sido decisivo no crescimento do esporte no país. A canoagem também conta com os apoios significativos do Ministério do Esporte, Comitê Olímpico Brasileiro, Comitê Paralímpico Brasileiro e Itaipu Binacional.
 
Com esses apoios, o ano já começou bem para a Canoagem Velocidade, quando foi apresentado o Centro de Treinamento no Yacht Clube Paulista. Administrado e executado pela Academia Brasileira de Canoagem (ABraCan), com patrocínio do BNDES via Lei de Incentivo ao Esporte do Ministério do Esporte, Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e Secretaria Nacional do Alto Rendimento do Ministério do Esporte, o CT foi concebido para se tornar modelo para o esporte, reunindo num só local toda a estrutura e profissionais necessários ao desenvolvimento da canoagem no país.
 
O CT da Canoagem Velocidade foi bastante elogiado, por exemplo, pela coordenadora de Alta Perfomance da Seleção de Canoagem Velocidade do Canadá, Christine Bain, quando veio ao Brasil conhecer e escolher locais para treinamento da delegação daquele país para os Jogos Olímpicos Rio 2016. “Esperamos treinar aqui no futuro”, declarou ela com entusiasmo. “A Seleção Brasileira tem sorte de ter um lugar tão bom para treinar”.


Isaquias Queiroz fez história na Alemanha ao garantir duas medalhas no Mundial de Duisburg.

 









Confederação Brasileira de Canoagem

Rua Monsenhor Celso, 231 - 6º andar - Centro - Curitiba - PR - CEP 80010-150
Telefone 41 3083 2600 - Fax 41 3083 2699
Apycom jQuery Menus