Confederação Brasileira de CanoagemItaipu Binacional

Notícias

Matéria JIE 1 - Brasileiro

19/10/2013

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Ana Sátila reencontra palco da conquista de vaga olímpica e almeja medalha em 2016

19/10/2013 | 17h51                                                                                      

 


Com a experiência de uma Olimpíada, a jovem canoísta agora quer medalha nos Jogos do Rio de Janeiro.
    
O primeiro dia de provas classificatórias do Campeonato Brasileiro de Canoagem Slalom, neste sábado (19), no Canal Itaipu, em Foz do Iguaçu, foi especial para Ana Sátila. Ela voltou a competir no local onde, em março de 2012, durante o Pan-Americano, conquistou vaga para a Olimpíada de Londres, no mesmo ano, tornando-se a atleta do Brasil mais jovem naqueles jogos.
 
Agora, o status de canoísta olímpica e de estrela precoce da modalidade a deixou no centro das atenções da competição, fazendo-a sentir na pele a pressão de, com apenas 17 anos, ser a favorita para as disputas femininas de caiaque (K1) e canoa (C1) individual. “Aprendi a conviver com isso”, diz, com a naturalidade de quem se sente em casa.
 
Ana Sátila conhece bem o Canal Itaipu: desde 2008 treina no local, sob supervisão da CBCA – que rapidamente viu na garota de Primavera do Leste (Mato Grosso), então com apenas 12 anos, um grande potencial. Foi quando surgiu o convite para treinar em Foz do Iguaçu, em uma das melhores pistas de canoagem slalom do mundo. Hoje ela mora na cidade, que sedia a Equipe Permanente de Canoagem Slalom.
 

Remos a postos: Ana Sátila se sente em casa no Canal Itaipu.

  
O retorno ao canal para uma nova competição a agrada. “Tenho ótimas recordações daqui, o que me anima, por isso espero dar o melhor neste Brasileiro.”
 
Em Londres 2012, enfrentando as melhores atletas do planeta, campeãs nacionais, Ana Sátila ficou em 16º lugar. Um bom resultado, considerando a pouca idade e a falta de tradição brasileira no esporte. Mas a principal conquista não apareceu no painel de classificação. “A experiência que tive lá foi ótima e importante para eu melhorar meus resultados”, afirma.
 
O traquejo olímpico já começa a dar frutos. Em julho deste ano, a jovem mato-grossense ganhou uma medalha de bronze (C1) no Mundial Júnior e Sub-23, na Eslováquia – um resultado histórico. Até então, a única medalha brasileira na competição havia sido conquistada pelo gaúcho Gustavo Selbach, na Noruega, em 1992. Um bronze também.
 
Agora ela dá suas remadas no exterior e em solo brasileiro com um objetivo claro e mais pretensioso. “Acho que, nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016, terei condições de brigar por medalha. Tenho três anos para treinar muito forte e dedicar a vida à canoagem.”
 
As finais do Brasileiro de Canoagem Slalom serão neste domingo (20). A competição tem 97 participantes, de sete estados brasileiros. Estão em disputa as categorias K1 (caiaque para uma pessoa), C1 (canoa para uma pessoa) e C2 (canoa para duas pessoas). O evento tem o patrocínio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que também apoia a Equipe Permanente de Canoagem Slalom.
 
Meninos do Lago
  

Wellton e Wallan de Carvalho, participantes do Meninos do Lago: canoagem agora é mais que diversão.
   

Há quatro anos, quando ingressam no Projeto Meninos do Lago, os gêmeos de Foz do Iguaçu Wellton e Wallan de Carvalho, de 15 anos, esperavam apenas aprender um novo esporte e se divertir. Tomaram tanto gosto pela canoagem, no entanto, que transformaram a modalidade em um objetivo de vida. Agora, disputam o Campeonato Brasileiro de olho na profissionalização.
 
“Não imaginávamos chegar a este ponto, competindo com os melhores atletas do Brasil, que já foram até para o Mundial. Queremos mostrar que temos condições de chegar à seleção e disputar uma Olimpíada”, diz Wellton, o mais falante dos irmãos.
 
Com 37 atletas, o Instituto Meninos do Lago forma a maior equipe participante do Campeonato Brasileiro de Canoagem Slalom. A explicação é simples e direta, segundo o superintendente da Confederação Brasileira de Canoagem, (CBCa), Argos Rodrigues. “O Meninos do Lago é hoje a melhor escola de canoagem slalom do Brasil”, ressalta.
 
Os últimos resultados amparam a afirmação de Rodrigues. Este ano, a equipe de Foz do Iguaçu ganhou as três primeiras etapas da Copa do Brasil, em Cerquilho (SP), Macaé (RJ) e Três Coroas (RS).
 
Criado em 2009, o Projeto Meninos do Lago é desenvolvido em parceria por diversas entidades – entre elas, Itaipu (por meio do Programa de Proteção à Criança e ao Adolescente) – e atende cem crianças e adolescentes, com idade entre 7 e 18 anos, estudantes da rede pública de ensino, em Foz do Iguaçu. Desde 2009, 389 atletas já passaram pelo Meninos do Lago.
 
A importância do Brasileiro de Canoagem
  

Atleta desce o Canal Itaipu durante prova classificatória do Brasileiro, neste sábado (19).

   
Há um bom motivo para os melhores atletas da canoagem slalom participarem do Campeonato Brasileiro: a pontuação para o ranking nacional, que, por sua vez, dá acesso ao incentivo financeiro do governo federal.
   
O circuito nacional anual é composto por quatro etapas da Copa Brasil e apenas uma do Campeonato Brasileiro. As duas competições dão pontos para o ranking. Na etapa única do Brasileiro, que acontece neste sábado e domingo, no Canal Itaipu, a pontuação para o atleta e também para a associação que ele representa é dobrada. Por isso muitos atletas dão prioridade ao Brasileiro.
  
É o ranking nacional que define quem será beneficiado no próximo ano pelo Bolsa Atleta [programa de patrocínio individual de atletas, mantido pelo governo federal] e, também, os integrantes da Equipe Permanente de Canoagem Slalom, que representa a seleção brasileira em competições internacionais.
   
Sobre o Campeonato Brasileiro de Canoagem Slalom 2013, o JIE também publicou:
    

Brasileiro de Canoagem começa nesta sexta-feira (18). Meninos do Lago são maioria

  
Para confederação, apoio da Itaipu e BNDES é um marco histórico
   
Melhor equipe do País, Meninos do Lago vence o Brasileiro de Canoagem Slalom


Admin | Projeto Meninos do Lago | Desenvolvimento Carlos Henrique