Confederação Brasileira de CanoagemItaipu Binacional

Notícias

Final do 1 Campeonato Interno Itaipu de Rafting

06/06/2011
Imprensa 58
 

 

 

 

 

 

 

 

 

Chegou ao fim ontem (05/06/2011) o primeiro campeonato interno de Rafting promovido pela Segurança Empresarial, em parceria com a Confederação Brasileira de Canoagem e Federação Paranaense de Canoagem,  aos funcionários da Itaipu Binacional. Mais de 180 atletas estiveram participando do evento que foi dividido em três chaves com seis equipes cada.   

Ao todo foram dezoito times que participaram em grupos separados onde estiveram presentes apenas seis equipes em cada dia das respectivas eliminatórias, as quais foram realizadas nos dias 07, 21, 28 de maio com provas de Sprint, Slalom e Descenso.  Destas eliminatórias, apenas os dois melhores resultados se classificaram para a grande final que foi realizada ontem com a presença da boa equipe dos Caveiras, que não perdeu uma prova sequer durante todo o evento.
O resultado final foi o seguinte:
1º Lugar – Caveiras                -  900 pontos
2º Lugar – Bravo                     - 792 pontos
3º Lugar – Equiroubada        -  691 pontos
4º Lugar – Nada está tão ruim que não possa piorar - 650 pontos
5º Lugar – Hellfílicos              -  627 pontos
6º Lugar – Trogloditas           -  606 pontos
Para o Coronel Alexandre de Andrade Cardoso, organizador do evento, a competição foi um grande sucesso:
“Várias pessoas vieram nos perguntar quando será realizado o próximo evento ou se haverá continuidade nessas atividades desportivas promovidas internamente. Isso é sinal que a ação foi um sucesso, pois realmente trata-se de uma excepcional forma de promover a integração entre os próprios funcionários da Itaipu Binacional”.
Coronel Rogel Zattar, Superintendente da Segurança Empresarial, também vê com bons olhos a promoção constante dessas atividades desportivas dentro da Itaipu Binacional, em especial o rafting:
“Essa modalidade desportiva é sensacional para o desenvolvimento do espírito de equipe, união, liderança e outros tantos valores que se pode aproveitar nas atividades com o rafting. Ficou claro para todos que dentro da embarcação tem que haver uma perfeita sincronia entre todos os tripulantes e se não houver um comando forte, que saiba exatamente o que está fazendo, o bote ficará totalmente desorientado batendo nas pedras existentes em todo o canal”.   
 A integração entre o esporte e a família Itaipu ficou evidente com a presença de vários filhos e netos dos atletas iguaçuenses.
“Havia muitas crianças e jovens em todas as fases do evento, isso foi o que mais nos marcou nesse Campeonato Interno. Faz parte da nossa missão a promoção e consequente evolução técnica do nosso esporte e isso só vamos conseguir quando houver a participação efetiva desse público mais jovem” – afirmou o presidente da Federação Paranaense de Canoagem, Valdecir Fernandes da Cruz.
“Acho que estamos evoluindo cada vez mais no objetivo de inserir a canoagem na cultura do cidadão iguaçuense. A Itaipu Binacional e o próprio Município de Foz do Iguaçu adotaram essa modalidade como parceira para as constantes ações de promoção social, desportiva e turística, para nós da Confederação Brasileira de Canoagem é uma honra podermos contar com essa parceria a qual creditamos o motivo da nossa ascensão cada vez maior, inclusive no cenário internacional” – disse o superintendente da Confederação Brasileira de Canoagem, Argos Gonçalves Dias Rodrigues.
Para finalizar é importante destacar a participação dos jovens atletas do Projeto Meninos do Lago que também foi de fundamental importância. Estiveram trabalhando nos oito dias de evento, no resgate e na arbitragem, cerca de 30 canoístas do Bairro Morumbi e da Vila C.
“São atletas que estão sendo preparados física, técnica e mentalmente para os Jogos Olímpicos de 2016. Entender o posicionamento e complexidade dos juízes e organizadores de eventos, fazendo parte dessa organização,  faz com que eles adquiram respeito à todos aqueles que se dedicam para que os mesmos possam competir em todas as etapas do Circuito Nacional e até mesmo Internacional, além disso os atletas são forçados a aprenderem realmente as regras” – finalizou a Técnica Mayara Cordeiro Lapzyk.
 
Admin | Projeto Meninos do Lago | Desenvolvimento Carlos Henrique