Notícia
03/11/2017 19:55
Segundo dia de Seletiva em Três Coroas sem definição dos mais rápidos do caiaque e da canoa masculina
Pedro Gonçalves e Guilherme Mapelli no K1, Charles Corrêa e Felipe Borges no C1, brigam pela primeira posição. Ana Sátila se classifica para a temporada 2018 no K1 e no C1

Boas disputas prometem ferver ainda mais as águas do Rio Paranhana, no Rio Grande do Sul, neste sábado (04). Será o último dia de provas da Seletiva Nacional de definição dos atletas brasileiros que estarão em competições internacionais no próximo ano. Charles Corrêa e Felipe Borges, classificados, brigam para serem os barcos mais rápidos no C1 Masculino Sênior, Pedro Gonçalves já garantiu a vaga, mas quer ser o mais rápido no K1 Masculino que hoje teve a liderança de Guilherme Mapelli. Já Ana Sátila se classificou com folga a frente das demais. Entre os juniores e sub-23 femininos os primeiros lugares também já estão definidos.
 
Ana Sátila está assegurada e vai representar o Brasil em competições internacionais em 2018 nas categorias Sub-23 e Sênior. A atleta foi a mais rápida entre as canoas e os caiaques ao descer as águas da pista em Três Coroas – RS. Ela percorreu os 23 obstáculos sem cometer nenhuma penalidade no K1 Feminino Sênior, e na segunda descida fez o seu melhor tempo, 96.22 segundos. No C1 Feminino Sub-23 a atleta do Instituto Meninos do Lago teve dois toques nas balizas e mesmo assim teve o menor tempo, fechando o percurso em 111.97 segundos.
 
“A descida foi muito complicada hoje, muito técnica. Tinha que ter muita concentração e um preparo físico muito grande, estava muito cansativa.  O atleta tem que colocar toda a experiência, a técnica e o preparo físico na prova.  Estou contente com a descida em geral, acho que esses três dias vão ter muitas coisas pela frente. Estou muito feliz com o resultado e com a experiência que eu estou tendo aqui”, mesmo com a classificação obtida ela pretende descer normalmente nas provas amanhã. “Eu desço com certeza.  Faz parte do treinamento você competir e acaba ajudando muito o atleta.  Eu pretendo competir e descer em todas as provas”. Esclarece.
 
Seguindo os passos da irmã, Omira Estácia, também do IMEL, voou na água e foi a mais rápida no K1 Feminino Júnior e C1 Feminino Júnior e já é a melhor da seletiva no caiaque. Na canoa ainda brigará com Beatriz da Motta, de Piraju – SP, que foi a mais rápida da quinta-feira (02).  
 
 
Resultado embolado entre os Sêniores homens 
 
O canoísta de Piraju – SP Pedro Gonçalves fez o melhor tempo ontem, mas hoje ficou atrás de Guilherme Mapelli no K1 Masculino Sênior. O atleta gaúcho da ASTECA fez uma descida limpa na segunda prova classificatória do dia e ficou 0.47 segundos mais rápido que Pepê.
 
“A segunda descida hoje foi tri legal, consegui ganhar do Pepê fazendo um tempo muito bom. Me mantive bem na linha durante a descida toda, ontem eu fiquei com a terceira colocação e a primeira de hoje me deixa na briga pelo primeiro lugar na seletiva. Todo mundo amanhã com sangue nos olhos, amanhã é dia de fazer a água levantar poeira", comenta. Já Pepe diz que manterá a mesma estratégia na água. “Remarei do mesmo jeito que remo sempre, e vou buscar sempre uma boa prova”, diz.
 
Já pelo C1 Masculino Sênior, Charles Corrêa, atleta da APEN de Piraju – SP, ficou na frente de Felipe Borges, do Instituto Meninos do Lago de Foz do Iguaçu – PR, sua primeira descida do dia foi a mais veloz com 2.08 segundos à frente de Borges, que na prova realizada ontem (02) havia ficado em primeiro. “O jogo está aberto. Todo mundo tem chances ainda, mas não sabemos como vai ser a pista amanhã. Acredito que vá ser mais rápida ou travada, vamos ver, porque o jogo está aberto", explica Charles.
 
O atleta analisa o bom resultado de hoje e aponta para importância da estratégia para fazer uma pista sem riscos. “Hoje eu resolvi fazer uma pista mais segura para não correr o risco de ter toques. Graças a Deus consegui o primeiro lugar e estou classificado para a seletiva também. Agora é descansar para fazer o melhor de novo”, complementa.
 
Definidos os mais rápidos entre os Juniores e Sub-23 masculinos
 
Na prova do K1 Masculino Sub-23, Renan Soares da ATICA de Tibagi – PR foi novamente o mais rápido e garantiu o primeiro lugar com 92.72 segundos, isso o garante como o primeiro colocado da categoria na seletiva. “Como todos nós atletas pensamos, a primeira descida é para a gente pegar confiança para a segunda. Tem que fazer uma boa descida na primeira para ir mais confiante na segunda e foi isso que eu fiz agora”, comemora o atleta.
 
Guilherme Rodrigues representando Foz do Iguaçu – PR conseguiu ser o mais rápido entre os juniores do caiaque e fez a sua descida em 90.45 segundos, o terceiro caiaque mais rápido do dia. Mesmo com esse resultado ele acredita que podia mais: “Eu fiz uma descida bem controlada na primeira para conseguir um bom resultado de primeira, mas não foi tão boa quanto eu esperava, mas deu para fazer uma pista boa e controlada.  Em algumas partes eu tive erro de linha, derrapei um pouco em algumas remontas, mas consegui manter um tempo bom”.
 
Na categoria C1 Masculino Sub-23, Pedro Aversa de Piracicaba – SP foi o mais rápido na água com o tempo de 109.11 segundos. No C1 Masculino Júnior, Gustavo Selbach Júnior de Três Coroas – RS também fez o menor tempo pelo segundo dia consecutivo e hoje fechou o a prova com 103.35 segundos. Assim como Aversa ele está classificado para as disputas internacionais da sua categoria.
 
K1 Extremo Cross
 
Pirajuenses na frente tanto na categoria feminina quanto na masculina. Charles Corrêa (APEN) conseguiu ser o mais veloz no K1 Extremo Cross Masculino, ele percorreu a pista de 260 metros em 40.94 segundos e entre as mulheres Beatriz da Motta fez o tempo de 46.35 segundos e ficou na primeira posição do dia, neste sábado (04) acontecem as últimas descidas da categoria e a grande final.
 
“A fruta não cai longe do pé”, o pequeno Lorenzo segue os passos do pai Cássio
 
O técnico da Canoagem Slalom Brasileira, Cássio Petry começou na modalidade aos 13 anos, participou das olimpíadas de Sidney, em 2000, como único brasileiro da modalidade e encerrou a carreira de atleta em março de 2016, com 38 anos. Além de treinar os atletas da Equipe Brasileira de Canoagem Slalom, Cássio tem um atleta especial chamado Lorenzo, de 5 anos de idade.  O filho do treinador é aficionado pelo esporte e se diverte tanto em casa, como nos campeonatos onde acompanha o pai, com um capacete, um colete e uma madeira que simula um remo. “O meu filho já nasceu dentro de um barco, com 4 meses ele já remava comigo”, revelou.
 
 
A perspectiva é de que o filho seja atleta e um grande profissional, mas o técnico garante que a pressão não é um bom incentivador. “A gente não pode botar pressão para não causar nenhum desentendimento na cabeça da criança e não virar um trauma logo na hora de iniciar no esporte”, afirmou.
 
Cássio explica que uma criança com 6 ou 7 anos já é capaz de conduzir um caiaque e remar por diversão, mas reitera que uma rotina de treinos só deve começar a existir por volta dos 12, 13 anos.
 
Sábado cheio de emoções
 
As provas deste sábado (04), último dia de competições, iniciam às 10h00 da manhã com o C1 Feminino Júnior e irão até 16h20. Será a terceira disputa das classificatórias com duas descidas em cada categoria, além disso haverão as quartas de finais, semifinais e finais do K1 Extremo Cross, tudo com transmissão ao vivo pelo youtube da Canoagem Brasileira, acesse o link aqui.

Governo do ParanáSaneparJMaluceliBolsa AtletaComitê Olímpico Brasileiro Comitê Paralímpico Brasileiro International Canoe Federation Internation Rafting Federation Pan American Canoe Federation Confederacion Suramericana de Canotaje Banco Nacional do Desenvolvimento Lei de Incentivo ao Esporte GE Itaipu Binacional Governo Federal
Confederação Brasileira de Canoagem

Rua Monsenhor Celso, 231 - 6º andar - Centro - Curitiba - PR - CEP 80010-150
Telefone 41 3083 2600 - Fax 41 3083 2699
Apycom jQuery Menus BNDES Facebook Flickr Youtube Google +