Notícia
26/09/2018 02:09
Felipe Borges e Ana Sátila garantem vaga na semifinal do C1 e K1
Campeonato Mundial de Canoagem Slalom Rio 2018 segue até domingo, dia 30, no Parque Radical

Fotos: Miriam Jeske/ABraCan


No segundo dia de competições do Campeonato Mundial de Canoagem Slalom Rio 2018, o Brasil garantiu duas vagas nas semifinais, uma no C1 Masculino e outra no K1 Feminino. A equipe brasileira será representada nas semifinais por Felipe Borges e Ana Sátila, respectivamente. No total, seis atletas brasileiros entraram nas corredeiras do Parque Radical de Deodoro, disputando nas duas categorias pelo Campeonato Mundial de Canoagem Slalom Rio 2018, que começou dia 25, reúne 250 atletas, de 40 países.
 
Os atletas da canoa masculina, formada por Gustavo Selbach, Charles Correia e Felipe Borges foram os primeiros a descer as corredeiras do canal de Deodoro. Na primeira bateria, o trio não conseguiu garantir ingresso direto para a semifinal e todos participaram da segunda descida no período da tarde, quando o sol forte e o calor intenso contribuíram para deixar as provas ainda mais difíceis.
 
Das 30 vagas, para a semifinal, 20 foram garantidas na primeira descida. Ou seja, dos 56 atletas, os 20 melhores colocados não precisaram fazer a segunda descida no período da tarde. Das 10 vagas disputadas na segunda bateria, Felipe Borges ficou com a nona com o tempo de 94.84. “Estou bem contente com a minha segunda descida. Eu cometi alguns errinhos na primeira baliza, na remonta, mas o importante é que consegui entrar na semifinal. Agora, eu vou focar para chegar na final e fazer uma final inédita para o Brasil”, espera.
 
Ele recorda que no ano passado, em Pau, na França, também esteve na semifinal. “Foi a primeira canoa do Brasil a conseguir uma semifinal no Mundial. Então, hoje (26), eu estou bem contente em cumprir com a minha primeira missão, que era justamente passar nesta etapa”, diz.
 
O brasileiro avalia que ter treinado no início do ano em Deodoro, de janeiro a março, fez toda a diferença. “Em 2015, nós tivemos o Campeonato Mundial Sub-23 em Foz do Iguaçu (central de treinamento da Seleção Brasileira) e consegui a medalha de bronze. Então, demonstra que quando treina em casa, tem mais confiança, conhece melhor as linhas d’água e o rendimento é melhor”, cita como exemplo.
 
Já Charles Correa, passou por momento de angústia acompanhando atentamente os resultados em frente ao telão, mas, ao final, não alcançou o seu intento. Por muito pouco, ele ficou de fora da semifinal do C1. “Tive um toque numa das balizas e fui punido em três segundos (3.28), que parecem tão pouco, mas me deixaram fora da semifinal do Mundial. Se não fosse essa punição, com certeza, eu estaria entre os cinco primeiros desta segunda descida”, calcula.
 
Apesar de ficar com a 12ª colocação no ranking, Charles não vê como um resultado ruim. “Mostra que estou evoluindo bastante. No ano passado, não passei nem perto. Nessa edição, já bati na trave. Nós estamos realizando um trabalho novo com o COB (Comitê Olímpico Brasileiro) e os resultados já estão chegando”, avalia.
 
K1 Feminino - Já no K1 Feminino, Ana Sátila mostrou porque é o principal nome da Canoagem Slalom da Seleção Brasileira. Apesar de não considerar que fez uma boa descida, ela garantiu presença na semifinal ainda na primeira bateria da prova. “Hoje (26), realmente, não foi um bom dia, mas tentei fazer as balizas que eu havia planejado. E participar do Mundial em casa é uma oportunidade única”, avalia.
 
 
Também participaram da classificatória do K1 Feminino, Omira Estácia Neta e Marina Costa, mas as duas brasileiras não conseguiram a classificação após as duas descidas. Omira finalizou sua participação na prova na 15ª posição e Marina na 25ª.
 
As provas da semifinal do K1 Feminino e do C1 Masculino acontece dia 28, a partir dos das 14h40. Nesta quinta-feira, acontecem as classificatórias do C1 Feminino e K1 Feminino para a semifinal, além das baterias classificatórias do K1 Extremo, prova em que Ana Sátila conquistou a medalha de prata no Campeonato Mundial de 2017, em Pau, na França.
 
Mundial Slalom 2018 - O Campeonato Mundial de Canoagem Slalom Rio 2018 é uma realização da Academia Brasileira de Canoagem (ABraCan), com supervisão técnica da Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa) em parceria com o Ministério do Esporte, Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Comitê Olímpico Brasileiro e apoio da Federação Internacional de Canoagem.
 

Governo do ParanáSaneparJMaluceliBolsa AtletaComitê Olímpico Brasileiro Comitê Paralímpico Brasileiro International Canoe Federation Pan American Canoe Federation Confederacion Suramericana de Canotaje Banco Nacional do Desenvolvimento Lei de Incentivo ao Esporte GE Itaipu Binacional Governo Federal
Confederação Brasileira de Canoagem

Rua Monsenhor Celso, 231 - 6º andar - Centro - Curitiba - PR - CEP 80010-150
Telefone 41 3083 2600 - Fax 41 3083 2699
Apycom jQuery Menus BNDES Facebook Flickr Youtube