Notícia
14/12/2018 11:26
Campeonato Sul-americano encerra calendário internacional da Paracanoagem
A Paracanoagem Brasileira que esteve representado por jovens abaixo de 25 anos apresentou ótimos resultados.

A Paracanoagem brasileira encerrou o ano com ótimas participações dos jovens atletas da modalidade. De acordo com o plano de trabalho da Paracanoagem, este evento haveria a participação de apenas jovens abaixo de 25 anos, que estivessem elegíveis para a competição, no intuito de renovação e aumento no nível de competitividade destes atletas.
Giovane Vieira de Paula (KL3), Patrick Pisoni Loureiro (KL3 e VL3) e Brenda Kelen Fernandes de Almeida (KL1), participaram das provas de 200 metros contra atletas do Chile, Uruguai e Argentina.
 
Para Gelson Moreira, o resultado foi dentro do esperado e planejado, sobretudo na excelente disputa do KL3. “A organização do evento e a CBCa forneceu os subsídios necessários para um bom desempenho e pudemos ver isto na prova do KL3 onde Giovane e Patrick chegaram muito próximos e muito bem”. Sinalizou o técnico do Iate Clube de Londrina que esteve como auxiliar técnico da Paracanoagem no Campeonato Sul-americano de Paracanoagem.
 
“Este evento é importante para o desenvolvimento global destes jovens atletas, e o nível das competições Sul-americanas vem sofrendo uma elevação considerável e importante para colocar os atletas jovens em bons níveis de competitividade” comenta o coordenador da Paracanoagem na CBCa, Leonardo Maiola. “Além do ganho de ritmo de competição o atleta retorna com mais experiência para os próximos desafios”, reforçou a Thiago Pupo, evidenciando a importante ação, ressaltado no plano de trabalho, de privilegiar a participação dos atletas jovens nas provas de eventos como este.
 
“O Campeonato Sul-americano me deu uma injeção de ânimo e me fez despertar novamente a busca pelos meus objetivos na Paracanoagem, inclusive a possibilidade de participar no VL3 e a compra de novos equipamentos”. Comentou o atleta do Clube de Canoagem de Aquidauana, que finalizou a prova muito próximo ao brasileiro Giovane de Paula, campeão do no KL3, e ainda levou para o Mato Grosso uma medalha de bronze no VL3.
 
Brenda de Almeida, foi um dos destaques brasileiros, garantindo o segundo lugar no KL1 200m, ficando atrás apenas da experiente Katherinne Wollermann, do Chile. “o resultado foi muito importante porque me mostra onde que tenho que melhorar e aprimorar, além de ser excelente a convivência e a experiência que trouxe de lá, focando agora nos índices do próximo ano para participar dos próximos evento”. Ressalta a atleta do Iate Clube de Londrina. Outro atleta do Iate Clube de Londrina, Giovane de Paula ressalta este objetivo e tem outras ambições “meu objetivo para o ano que vem é participar novamente do mundial e garantir a vaga para Tóquio 2020”.  O atleta de Apucarana, norte do Paraná foi medalhista de ouro no KL3 200m e fez final B no Campeonato Mundial realizado este ano em Montemor o’velho – Portugal.
 
Giovane de Paula campeão Sul-americano KL3 - 200m
 
 
Brilhante ano para a Paracanoagem Brasileira
 
O Campeonato Sul-americano de Paracanoagem encerrou um dos anos mais brilhantes da Paracanoagem brasileira.
 
O ano foi marcado pela inclusão das provas de Va’a no programa paralímpico Tóquio 2020. Com isto possibilitou uma melhor representatividade e resultados nos eventos internacionais para a Paracanoagem brasileira, uma vez que historicamente o Brasil sempre esteve muito bem nas provas desta embarcação. Tanto que dela veio 3 medalhas no Mundial, sendo uma de Ouro com Igor Alex Tofalini e duas de prata com os multimedalhistas mundiais Caio Ribeiro de Carvalho e Luis Carlos Cardoso da Silva, que além das medalhas nas provas de Va’a conquistaram a medalha de prata e de bronze respectivamente no KL3 e no KL1.
 
Antes deste evento Luis Cardoso e Caio Carvalho obtiveram bons resultados na Copa do Mundo de Paracanoagem, realizada em Szeged – Hungria. Os brasileiros trouxeram ao país 3 medalhas de prata.
 
Além dos resultados nos eventos mundiais, o brasil manteve sua hegemonia do continente americano, conquistando medalhas de ouro no Pan-americano, com os atletas Fernando Rufino de Paula, Igor Tofalini, Luis Cardoso da Silva, Mari Christina Santilli e Debora Raiza Ribeiro Benevides.
 
Estes resultados internacionais são reflexos de ações que são desenvolvidas em prol do desenvolvimento do esporte nacional, no ano de 2018 foi realizado semanas de treinamento no Centro de Treinamento Paralímpico que puderam auxiliar os treinamentos dos atletas e a preparação para os eventos internacionais. Prévio ao Campeonato Mundial os atletas puderam realizar uma preparação para o Campeonato Mundial, podendo realizar a adaptação ao clima, água e vento da raia onde foi realizado o evento mais importante do ano.
 
Além destas ações em prol da excelência da Paracanoagem, o ano de 2018 teve o recorde de participação de atletas brasileiros no Campeonato Brasileiro, além da realização de duas etapas de Copa Brasil, possibilitando que os atletas nacionais estejam sempre em níveis competitivos.
 
“Este ano de 2018 foi especial para a Paracanoagem brasileira, pois conseguimos atuar em diferentes frentes para o desenvolvimento do esporte brasileiro. Para 2019 pretendemos manter as ações que deram resultados e incluir outras que possibilitem a maior representatividade nos eventos nacionais e garantia de vagas para Tóquio 2020, sobretudo com medalhas no Campeonato Mundial 2019, em Szeged - Hungria”. Ressaltou o coordenador da Paracanoagem na CBCa, Leonardo Maiola.

Governo do ParanáSaneparJMaluceliBolsa AtletaComitê Olímpico Brasileiro Comitê Paralímpico Brasileiro International Canoe Federation Pan American Canoe Federation Confederacion Suramericana de Canotaje Banco Nacional do Desenvolvimento Lei de Incentivo ao Esporte GE Itaipu Binacional Governo Federal
Confederação Brasileira de Canoagem

Rua Monsenhor Celso, 231 - 6º andar - Centro - Curitiba - PR - CEP 80010-150
Telefone 41 3083 2600 - Fax 41 3083 2699
Apycom jQuery Menus BNDES Facebook Flickr Youtube