Notícia
27/09/2018 02:09
Ana Sátila e Pepê passam para a semifinal do C1 e K1 no Campeonato Mundial de Canoagem Slalom
Ana Sátila garante vaga em sua segunda semifinal na competição

Créditos: Miriam Jeske/ABraCan


No terceiro dia do Campeonato Mundial de Canoagem Slalom Rio 2018, o Brasil garantiu presença logo pela manhã nas semifinais do C1 (canoa individual) feminino e K1 (caiaque individual) masculino. Ana Sátila e Pepê Gonçalves fizeram uma boa descida e conquistaram o direito à próxima etapa na primeira descida.
 
Ana Sátila não fez uma descida limpa, ela cometeu quatro faltas que adicionaram oito segundos no seu tempo total, mas isso não a tirou da zona de classificação da prova. “Hoje (27), eu estou me sentido melhor. Acabei tendo algumas penalidades, até porque o canal de Deodoro exige um nível de técnica bem alto, mas, mesmo assim, obtive a classificação. Agora, o meu foco é concentrar para a semifinal”, adianta.
 
Ainda sobre garantir a vaga na primeira seletiva, Ana frisa que faz uma diferença significativa para o atleta. “O fato de ter que fazer a segunda descida desgasta muito mais. São, no mínimo, duas horas a mais no local de competição. E como aqui é um local muito quente, às vezes, é preciso mudar até a estratégia de aquecimento, para que não haja desgaste desnecessário”, diz.
 
Os vinte canoístas com os melhores tempos são classificados automaticamente para a semifinal. Quem não consegue emplacar um bom resultado na primeira seletiva, tem uma segunda chance. Nesta etapa, os atletas disputam as dez vagas restantes.
 
A equipe feminina, que além de Ana Sátila, é formada por Beatriz da Mota e Omira Estácia Neta, irmã de Ana, participou da segunda bateria, mas não conseguiu entrar para a próxima etapa da disputa. Omira ficou em 14ª posição no ranking. Já Beatriz ficou com a 16º colocação.
 
Apesar de ficar fora da disputa, Bia, como é chamada, faz uma avaliação positiva da sua participação. “Fiz uma boa descida em vista do pouco tempo que treinamos nessa pista. De todas que já tive a oportunidade de treinar, a de Deodoro é a mais pesada. Eu avalio que não está ruim, porém sempre busco melhorar”, afirma.
 
A canoísta comenta ainda que é uma honra treinar e competir numa raia olímpica. “Além disso, eu estou competindo com várias atletas olímpicas, o que torna o momento ainda mais especial. É admirador estarmos juntas na mesma categoria. É uma experiência incrível para mim que sou mais nova”, revela.
 
No K1 masculino, os brasileiros Guilherme Mapelli e Fábio Schena Rodrigues também não conseguiram passar na segunda bateria. E Mapelli não conseguiu por muito pouco. Ele ficou na 11ª colocação, com o tempo de 90.48 e sem nenhuma penalidade.
 
“Na primeira descida, tive duas penalidades, sem elas, eu entraria na semifinal. A segunda descida, consegui fazer zerada. Porém, no final da pista, nas últimas ondas, acabei perdendo um pouquinho de tempo. É um pouco frustrante. Vou trabalhar dobrado para a próxima competição entrar com folga”, diz.
 
O sorriso de Pepê Gonçalves, que também foi classificado para a semifinal na primeira descida, revela o alívio de não precisar remar uma segunda vez na mesma prova. “Hoje, eu estou, muito, muito feliz, por ter entrado de primeira, porque o Mundial é um nível muito alto e psicologicamente é muito pesado. Em casa, a pressão é maior ainda, mas a gente tem que saber lidar com essa pressão. Então, classificar na primeira é um peso que sai das costas”, sublinha.
 
Sobre a descida, Pepê avalia que fez num tempo bom, mas por sofrer uma penalidade, terminou em 18º, que foi o suficiente para entrar na semifinal. “Se não fosse a penalidade, calculo que a minha classificação cairia para a 6ª ou 5ª colocação. Agora é tentar repetir no sábado. E vamos com tudo porque esse mundial é nosso”, acredita.
 
 
O dia terminou com a tomada de tempo do K1 Extremo, modalidade que ainda não é olímpica, mas tem conquistado os atletas. A partir da classificação são montadas as baterias para as provas, que acontecem no domingo, dia 30.
 
Competições – Amanhã será o quarto dia de competições, e a Seleção Brasileira de Canoagem Slalom estará na água em três ocasiões. Na semifinal do C2 Misto com Omira Estácia Neta e Charles Correa, às 9 horas. À tarde, a partir das 14h40, acontece a semifinal do C1 masculino, que terá Felipe Borges, que se classificou ontem (26), como representante brasileiro. Ele vai brigar por uma das dez vagas, que garantem acesso à final, que acontece no sábado (29) às 9 horas. E a semifinal do K1 feminino acontece nesta sexta-feira, a partir das 15 horas. Ana Sátila será a representante do Brasil nesta prova.
 
Mundial Slalom 2018 - O Campeonato Mundial de Canoagem Slalom Rio 2018 é uma realização da Academia Brasileira de Canoagem (ABraCan), com supervisão técnica da Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa) em parceria com o Ministério do Esporte, Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Comitê Olímpico Brasileiro e apoio da Federação Internacional de Canoagem.
 

Governo do ParanáSaneparJMaluceliBolsa AtletaComitê Olímpico Brasileiro Comitê Paralímpico Brasileiro International Canoe Federation Pan American Canoe Federation Confederacion Suramericana de Canotaje Banco Nacional do Desenvolvimento Lei de Incentivo ao Esporte GE Itaipu Binacional Governo Federal
Confederação Brasileira de Canoagem

Rua Monsenhor Celso, 231 - 6º andar - Centro - Curitiba - PR - CEP 80010-150
Telefone 41 3083 2600 - Fax 41 3083 2699
Apycom jQuery Menus BNDES Facebook Flickr Youtube